PM empurra e ameaça repórter em São Paulo

PM empurra e ameaça repórter em São Paulo

PM sem identificação (à direita, de óculos) empurrou o repórter Luís Adorno (UOL). Crédito: UOL

Um policial militar sem identificação empurrou o repórter Luís Adorno (UOL), que cobria as manifestações pró e contra o Governo Bolsonaro deste domingo (14/6). Ele estava gravando uma confusão entre jovens identificados como neonazistas e manifestantes antifascistas, quando foi empurrado pelas costas pelo PM. O celular do repórter caiu no chão e teve a tela danificada.

Depois da agressão, Luís, que é negro, questionou o PM, perguntou sobre sua identificação e afirmou que o empurrão não era necessário. Em tom intimidatório, o PM respondeu: “Vem cá, vamos trocar uma ideia, o que você falou aí? O que você falou aí?” Em seguida, o policial xingou o repórter. O capitão da PM Rogério da Silva Julio orientou Luís a enviar informações para a Corregedoria e destacou que a atitude não é tolerável.

Segundo testemunhas, o policial empurrou Luís para atrapalhar o registro. Não havia aglomeração de pessoas no momento do ocorrido. Rafael Ferreira Souza, manifestante antifascista que testemunhou a agressão, declarou: “Você (Luís) pegou o celular para filmar o que estava acontecendo e chegou o policial e te esbarrou de propósito, isso aí todo mundo viu, de propósito, pra você não filmar o que tava acontecendo”.

Em nota conjunta, o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP), a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e a Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial de São Paulo (Cojira-SP) repudiaram a agressão, questionando “o fato de o agente estar sem identificação, dificultando assim a denúncia. Sindicato, Fenaj e Cojira-SP cobram a devida responsabilização do agressor, e lembra que o Estado deveria ser garantidor dos direitos de manifestantes e jornalistas, e não violador”.

De acordo com o Sindicato, Adorno foi à delegacia para registrar ocorrência e lá voltou a ser intimidado pelo mesmo PM. “Vamos trocar uma ideia, ficou com medo?” disse o policial.

Com informações do UOL.



Fonte: Portal dos Jornalistas

Deixe uma resposta