O coronavírus e os veículos de comunicação – XIV

O coronavírus e os veículos de comunicação – XIV

Veículos formam parceria para divulgar dados sobre o coronavírus

Profissionais de G1, O Globo, Extra, Estadão, Folha e UOL formaram uma parceria para trabalhar, em conjunto, na coleta e divulgação dos números de contaminados e mortos pela Covid-19. Por causa das restrições impostas pelo Ministério da Saúde no que se refere ao acesso e divulgação dos dados sobre a pandemia, os veículos consultarão diretamente as secretarias de saúde de cada estado e do Distrito Federal.

O trabalho colaborativo será dividido entre os veículos participantes, que compartilharão entre si as informações obtidas, com o objetivo de fornecer um panorama mais próximo da realidade sobre o coronavírus. Isso inclui a evolução e o total de óbitos, além dos números consolidados de casos testados e com resultado positivo para a doença. Segundo o G1, o balanço diário será fechado às 20h.

O diretor-geral de Jornalismo da Globo Ali Kamel declarou que “a missão do jornalismo é informar. Em que pese a disputa natural entre veículos, o momento de pandemia exige um esforço para que os brasileiros tenham o número mais correto de infectados e óbitos. Face à postura do Ministério da Saúde, a união dos veículos de imprensa tem esse objetivo: dar aos brasileiros um número fiel”.

A iniciativa é uma resposta à decisão do presidente Jair Bolsonaro de atrasar a divulgação dos boletins diários do coronavírus para as 22h, com o objetivo de não serem transmitidos nos telejornais noturnos, segundo reportagem do Correio Braziliense. Vale lembrar que o portal onde o Ministério da Saúde divulgava informações sobre a pandemia não apresentava mais alguns dados relevantes, como números consolidados e o histórico da doença desde o seu começo. O site destacava apenas o número de pessoas recuperadas da Covid-19.

Após diversas críticas por especialistas e entidades de saúde, o ministro do STF Alexandre de Moraes determinou que o Ministério da Saúde volte a divulgar dados acumulados do coronavírus no portal oficial. Segundo ele, o “grave risco de interrupção abrupta da coleta e divulgação” é ruim para a saúde do País, e exigiu que as autoridades tomem todas as medidas possível para o “apoio e manutenção das atividades do Sistema Único de Saúde”. O Ministério da Saúde informou que voltará a divulgar os dados totais acumulados de casos e mortos às 18h.

E mais…

O Centro Pulitzer faz chamada para propostas de projetos jornalísticos colaborativos e digitais sobre a interseção Covid-19, desmatamento e outras questões críticas na região amazônica. O projeto proposto deve prever a inclusão de comunicadores e jornalistas locais ou indígenas, quilombolas ou ribeirinhos e um plano de difusão de conteúdo, por meio de parcerias, redes sociais ou outras estratégias de mídia. Os proponentes podem ser jornalistas independentes ou de veículos de qualquer nacionalidade, mas devem estar na região amazônica. As propostas serão aceitas em português, espanhol e inglês. As bolsas variam de acordo com o projeto e as inscrições vão até 20/6 pelo formulário. (Com informações do Portal Imprensa)

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e o Amazon Rainforest Journalism Fund (Amazon RJF) promoveram em 5/6 o webinar Os desafios de cobrir a Amazônia em tempos de pandemia, que debateu questões ambientais e a cobertura da Floresta Amazônica em meio à pandemia do coronavírus.

Mediado por Katia Brembatti, diretora da Abraji, o evento teve participação de Elaíze Farias, cofundadora da agência de jornalismo independente Amazônia Real; Mara Régia, radialista e apresentadora do programa Natureza Viva, da EBC; e Camilo Jiménez Santofimio, integrante do comitê de seleção de projetos do Amazon RJF.

Entre os temas do debate, destacou-se a crítica que os participantes fizeram ao chamado “olhar colonizador e etnocêntrico” do jornalismo sobre as realidades amazônicas. Eles também apontaram alguns tópicos que auxiliariam na construção de uma cobertura de maior qualidade e fiscalização na região: humildade, empatia e trabalho colaborativo com a população local. Assista ao debate na íntegra.

A TV Globo, com 95 casos de Covid-19, segundo informação de Cristina Padiglione, no UOL, está demitindo. A emissora tem alguns milhares de funcionários; mantém boa parte em home office e divulga com frequência os cuidados com os que trabalham na rua.

A coluna Na telinha, também no UOL, diz que artistas e outros profissionais passam a trabalhar por obra certa, em vez de contrato fixo. Comenta diversas demissões de artistas, como Miguel Falabella e Vera Fischer, afirma que há jornalistas entre os demitidos, mas não traz os nomes. Divulgar esse tipo de informação, na Globo, é considerado motivo para demissão por justa causa.

No Jornalismo da Band, tanto na TV como na rádio, foram demitidos Aline Greco, entre outros repórteres, além de cinegrafistas, editores e pessoal administrativo. Não houve, porém, redução de salários para os contratados pela CLT.

Ainda na Band, o apresentador Milton Neves passou mal durante o programa esportivo Terceiro tempo, no domingo, em São Paulo. Levado ao hospital São Luiz e depois transferido para o Sírio Libanês, foi internado com arritmia cardíaca, mas não está na UTI. Neves tem 68 anos, começou a carreira na extinta TV Manchete, passou depois à Band, foi para a Record e, sete anos depois, voltou à Band, onde está até hoje. A informação é do UOL.

Flávio Ricco, no UOL, publicou a informação que a Band preparava redução de salários de artistas e jornalistas que trabalhavam como PJs, e teve a confirmação em nota oficial: “O Grupo Band está negociando todos os contratos acima de 10 mil reais, mas apenas para PJs, nos meses de abril, maio e junho”.

Na comunicação corporativa

A Aberje promove em 17/6, das 9 às 12h, o primeiro módulo do curso gratuito Master Class Series Comunication, que discutirá a renovação do conteúdo de empresas em meio à pandemia. Inscreva-se!

Na mesma quarta, às 11h, a JeffreyGroup reunirá um time de profissionais para debater online o futuro do trabalho, cultura e engajamento no cenário da Covid-19. O debate, que será conduzido por Danilo Maeda, diretor e líder de Impacto Social e Sustentabilidade da agência, contará com a participação de Fabiana Cymrot, vice-presidente de Recursos Humanos da Mastercard; Leticia Ribeiro, sócia e líder da Área Trabalhista da Trench Rossi Watanabe; e Júlio César Emmert, diretor executivo de Gente da Algar Tech. Para participar, basta inscrever-se gratuitamente neste link.

Na quinta (18/6), às 9h30, o Itaú-Unibanco realiza a quinta edição do PR³ Itaú − a primeira feita totalmente online. Com o tema Comunicação em tempos de pandemia, terá a participação de Ana Luiza Herzog, do Magazine Luiza, e Cláudia Sérvulo, da Novartis. O evento será transmitido ao vivo. Para receber o link, é preciso fazer inscrição no site.

Internacional

Estudo diz que aumentaram ansiedade e estresse de jornalistas na pandemia

A Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) realizou uma pesquisa sobre condições de trabalho de jornalistas em meio à pandemia do coronavírus. Os resultados evidenciaram, entre outros itens, uma mudança significativa no fator psicológico dos jornalistas: dos 295 participantes, 177 relataram aumento da ansiedade e do estresse, o equivalente a aproximadamente 61%. Vale lembrar que cerca de 22% do total de jornalistas entrevistados são brasileiros e que aqui no Brasil a pesquisa foi aplicada pela Fenaj.

Ela também questionou temas como mudanças em questões financeiras e restrições ao exercício da profissão. Quase 60% dos entrevistados relataram reduções nos salários, e cerca de 70%, que enfrentaram impactos negativos no trabalho. Outros dados relevantes do estudo da FIJ são que 108 jornalistas foram deslocados para outras editorias; 21 foram demitidos; aproximadamente 16% relataram falta de equipamento de proteção para trabalho externo; e quase 10% disseram não ter ocorrido nenhuma mudança no trabalho durante a pandemia.

A Fenaj está fazendo uma nova pesquisa, para mapear as condições de trabalho e os casos de coronavírus entre os jornalistas do País. Participe!

Outras iniciativas

O Conselho Regional de Administração de São Paulo transmitirá nesta quinta-feira (11/6), às 18h, ao vivo, em seu canal  no YouTube, o webinar A importância da Administração e da Comunicação na Era Pós-Covid, ministrado por Walter Longo, ex-presidente da Abril. Inscrições neste link

O Movimento Sou de Algodão, que visa a estimular o consumo do algodão na indústria da moda e promover o consumo consciente, anunciou uma parceria com a TV Bandeirantes. Vai distribuir mil máscaras de proteção reutilizáveis para os repórteres da emissora de vários estados, que estão atuando na linha de frente trazendo as últimas informações sobre a Covid-19. As máscaras de algodão que serão entregues nas próximas semanas são produzidas pela Ideia Crua, empresa de confecção e estamparia ecológica especializada em produtos têxteis e parceira do Movimento.

O vírus versus nós

Estamos reproduzindo charges sobre a Covid-19 publicadas na exposição O vírus versus nós, em cartaz no site da Associação dos Cartunistas do Brasil. A desta semana é de Ronaldo Cunha Dias, gaúcho de Vacaria, premiado internacionalmente, que também é médico cirurgião.



Fonte: Portal dos Jornalistas

Deixe uma resposta