O coronavírus e os veículos de comunicação − V

O coronavírus e os veículos de comunicação − V

Veículos criam estratégias para manter audiência mesmo após o coronavírus

Embora o novo coronavírus esteja afetando o dia a dia das redações, com home office, mudanças nas programações, coberturas e editorias, a audiência dos veículos de comunicação está aumentando por causa de notícias sobre a pandemia. A International News Media Association (INMA) realizou uma pesquisa com editores e publishers de 48 plataformas de notícias para saber as estratégias que utilizam para manter a audiência mesmo depois que o surto passar.

O estudo mostra que boa parte dos veículos consultados foca em mudanças no sistema de paywall. Dezesseis das 48 empresas noticiosas (33%) passaram a deixar abertas notícias que abordam o coronavírus, e aproximadamente 42%, o equivalente a 20 veículos, reduziram o preço das assinaturas digitais em comparação ao início do ano, oferecendo serviços e ofertas de teste mais baratos.

O jornal americano The New York Times, por exemplo, reduziu o preço do plano anual: antes, custava US$ 2/semana, e agora custa US$ 1. Porém, depois do primeiro ano, o preço sobe para US$ 4,75 por semana, sendo que antes o valor era de US$ 3,75. Outro exemplo é o jornal sueco Dagens Nyheter, que oferece teste gratuito por um mês. Com informações da ANJ

Agência Pública
lança podcast com histórias das
vítimas

A Agência Pública lançou o podcast A vida nos tempos de corona, que conta a história das vítimas da Covid-19. O objetivo é mostrar que existem vidas por trás dos números, dados e estatísticas. O podcast vai ao ar às sextas-feiras.

Com apresentação de Ricardo Terto e participação de Mariana Simões, o episódio de estreia conta a história da primeira vítima da pandemia no Rio de Janeiro: uma empregada doméstica de 63 anos contaminada pela patroa, que não a informou sobre a importância do distanciamento social como medida de prevenção. O termo distância é analisado e discutido ao longo do episódio. Ouça na íntegra.

Google oferece US$ 6,5 milhões para ajudar no combate à desinformação sobre a pandemia

O Google está oferecendo um fundo de US$ 6,5 milhões para agências de checagem de fatos e organizações sem fins lucrativos do mundo todo que lutam contra fake news e desinformação sobre a Covid-19.

Pelo projeto Google News Iniciative, a empresa está apoiando iniciativas importantes e relevantes no contexto atual, como a First Draft, que oferece recursos, treinamentos e simulações de crise a jornalistas do mundo inteiro. Especificamente na América Latina, o Google renovou o apoio ao projeto brasileiro Comprova, que está agora focado na checagem de fatos sobre o coronavírus.

A iniciativa apoia também a LatamChequea, que reúne e destaca o trabalho de análise de notícias de 21 organizações em 15 países latino-americanos e de língua espanhola: Agência Lupa, do Brasil; Bolivia Verifica, da Bolívia; La Silla Vacía e ColombiaCheck, da Colômbia; La Nación e La Voz de Guanacaste, da Costa Rica; Periodismo de Barrio e El Toque, de Cuba; Ecuador Chequea e GK, do Equador; Maldita, da Espanha; Agencia Ocote, da Guatemala; Animal Político e Verificado, do México; El Surtidor, do Paraguai; Ojo Público e Convoca, do Peru; PoletikaRD, da República Dominicana; UyCheck, do Uruguai; Efecto Cocuyo, da Venezuela; e Salud con Lupa, para toda a região.

O Google está oferecendo também conteúdo gratuito para ajudar no trabalho dos jornalistas na cobertura da pandemia. Vídeos de treinamento em dez línguas diferentes foram disponibilizados no YouTube. Além disso, destacou na página Google Trends as principais notícias e tendências sobre o coronavírus.

Lupa integra a International Fact-checking
Network

O trabalho de combate à desinformação sobre o coronavírus e a Covid-19 feito pela agência Lupa desde o início da pandemia ganha um reforço importante a partir desta semana. A agência é uma das plataformas contempladas por um financiamento conjunto da International Fact-checking Network (IFCN) e do Facebook para projetos especiais relacionados com a pandemia.

Além da newsletter diária e especial sobre boatos envolvendo o novo coronavírus, os recursos vão permitir que a Lupa forneça, gratuitamente, às Secretarias de Saúde de todos os estados, além de entidades e associações médicas e de saúde, conteúdos checados sobre o vírus e a doença. Para isso, a agência receberá US$ 49,9 mil para reforçar sua equipe e o trabalho de checagem em todo o País e na coalizão mundial com os checadores internacionais que participam do esforço de combater a desinformação sobre a pandemia.

Gilberto Scofield Jr., diretor de Negócios e Estratégia da Lupa, diz que “estamos enfrentando duas batalhas: uma, dos profissionais de saúde nas trincheiras de combate direto ao vírus e nas pesquisas. Outra, nas trincheiras da informação. Há uma tentativa desumana de minimizar a doença ou espalhar o caos sobre a pandemia para lucrar politicamente. Esta segunda batalha é travada diariamente pelos jornalistas e pelos checadores”. E complementa: “Com a ajuda da IFCN e do Facebook, podemos avançar nesta frente contra a desinformação e ajudar a população a atravessar com calma este período”. 

A Lupa também terá um podcast semanal específico sobre Covid-19, a exemplo do Verifica, programa que a agência manteve nas principais plataformas de streaming de áudio entre agosto de 2019 e fevereiro deste ano. Jornalistas da agência vão esclarecer boatos sobre a doença e conversar com especialistas para indicar maneiras de os ouvintes se prevenirem e protegerem suas famílias nesta crise. A parceria já estabelecida com o Redes Cordiais, que mobiliza influenciadores digitais por menos desinformação e por menos discurso de ódio nas redes sociais, também será ampliada. A ideia é disseminar apenas o que for cientificamente comprovado e verificado por pesquisadores sérios sobre o vírus e suas manifestações.

O fundo distribuído pela IFCN e pelo Facebook contemplará outras 12 plataformas de checagem em diferentes países. Todas fazem parte da aliança CoronaVirusFacts que, desde janeiro, verifica informações sobre a pandemia. Ao todo, mais de cem checadores em cerca de 50 países participam da coalizão liderada pela IFCN.

Ferramenta
da RSF monitora ataques à liberdade de imprensa por causa do vírus

A organização internacional Repórteres Sem Fronteiras (RSF) lançou a ferramenta Tracker-19 para monitorar e avaliar o impacto que a censura de governos à imprensa e a desinformação trazem à liberdade de imprensa e de expressão. O objetivo é analisar como o jornalismo perde credibilidade e confiabilidade em meio à pandemia do novo coronavírus com o compartilhamento desenfreado de fake news, e ao ter suas notícias censuradas e desacreditadas por governos e autoridades.

Segundo Christophe Deloire, secretário-geral da RSF, o contexto pandêmico atual reforça a importância do jornalismo: “A censura não pode ser considerada um assunto interno de um país. O controle da informação em um determinado país pode ter consequências em todo o planeta e estamos sofrendo os efeitos disso hoje. O mesmo vale para desinformação e rumores. Eles fazem as pessoas tomarem más decisões, limitam o livre arbítrio e minam a inteligência”.

Os dados coletados formam um mapa-múndi interativo que mostra a situação da liberdade de imprensa ao redor do globo. Além disso, a RSF está oferecendo apoio financeiro aos profissionais de imprensa que foram infectados pelo coronavírus e que sofrem represálias ou sentem-se ameaçados por causa de seu trabalho. Para solicitar apoio, é preciso enviar o pedido para os e-mails [email protected] e [email protected]

O rádio na pandemia

A Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e TV (Abert), divulgou pesquisa que registra o aumento de audiência do rádio, por causa do isolamento, e supera até os serviços de streaming em alguns países. No Reino Unido, as emissoras de rádio da BBC cresceram 18% na audiência. Nos Estados Unidos o uso de aplicativos via streaming de música, como Spotify, teve retração de 8%.

Quatorze emissoras de rádio do Rio e de São Paulo uniram-se para levar ao ar uma gravação com vários de seus apresentadores transmitindo a mensagem de que cada um de nós, agora, precisa fazer a sua parte, e que a hora é de ficar em casa, porque tudo isso vai passar. A gravação, que está sendo veiculada em 93 FM, 94 FM, Alpha SP, Antena 1 Rio, Cidade, JB, Mania, Melodia, Mix, Mood, Nova Brasil, Rádio Globo, Sulamerica Paradiso e Super Rádio Tupi, termina citando que todos juntos somos mais fortes.

BeePop vai ao ar com foco nos profissionais de comunicação

Em São Paulo, a agência de publicidade BETC Havas lançou a rádio BeePop. Pretende, com ela, tornar mais leve a quarentena de seus colaboradores e de todos os profissionais de comunicação: levar o clima da agência para seus parceiros, e criar um ambiente de trabalho mais leve, dentro da casa das pessoas. É uma plataforma online de música, conteúdo e informação.

Ela conta ainda com o quadro Conexão Giusti e, em parceria com a agência de PR Giusti, apresenta boletins diários reunindo as principais notícias do dia e da atualidade. A rádio vai aproveitar também conteúdo vindo de outras filiais da BETC no mundo, como Paris, Londres, Los Angeles e mesmo Xangai.

Com 24 horas de programação, sete dias por semana, a plataforma tem curadoria especial de músicas, com playlists enviadas por ouvintes e entrevistas com personalidades do mercado da comunicação. Entre os primeiros entrevistados, estão Washington Olivetto, Astrid Fontenelle, Taís Araújo e Simaria Mendes.

O conteúdo baseia-se em quatro pilares: Home Office Is the New Black; Me tira do limbo aí; Better Together; e Just Wanna Have Fun. São editorias que vão abordar, respectivamente, cotidiano saudável, foco para ajudar na rotina, união e aproximação, e momentos de repouso e diversão. Há a previsão de manter a rádio ativa, mesmo quando tudo passar.

E mais…

O portal Grande Prêmio ganhou nova programação, com mudanças em algumas atrações já tradicionais, como os programas Paddock GP Paddockast, por causa do impacto da pandemia do coronavírus, além de três novas atrações. Dentre as estreias estão o talk show Fala y Fala, o programa de entrevista Cadeira Cativa, o game show Passa ou Ultrapassa, e um programa com foco nos eSports.

Nas agências

O Dino, divulgador de releases do Comunique-se publicou em seu blog cinco ações para ajudar as agências de comunicação a superarem a crise do Covid-19.

A Castilho&Montano divulga estudo da Demanda Pesquisa e Desenvolvimento de Marketing sobre a influência do coronavírus na vida dos brasileiros. Colapso na saúde, desemprego e recessão são as maiores preocupações.

Planin apoia a campanha #EspalheSolidariedade da ONG Habitat para a Humanidade Brasil, que pretende arrecadar doações e levar alimentos, itens de higiene e água para mil famílias de 20 comunidades carentes como Paraisópolis, Heliópolis e Campo Limpo, na capital paulista. Doações pelo Catarse.

A Ágora Comunicação produz um estudo semanal das conversas das populações da América Latina acerca da Covid-19; com foco nas emoções e nos assuntos mais importantes para Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. Confira!

A FleishmanHillard, por meio do True Global Intelligence, compartilha esta semana uma análise exclusiva, preparada por seu time de especialistas em gestão de crise, sobre os impactos da Covid-19. Foram contemplados sete setores da economia: healthcare, varejo & e-commerce, agricultura, serviços financeiros, tecnologia, viagem e manufatura. Para saber mais e receber os conteúdos envie um e-mail para diretores[email protected]

A LAM Comunicação divulga que a associação de consumidores Proteste Brasil lançou dois hubs de notícias, Radar e Seu Direito, com informações e orientações sobre relações de consumo, e um canal especial sobre coronavírus. A operacionalização dos três é da Barões Digital Publising, especializada em brand publishing.

A AD2M, de Fortaleza, é outra das agências que entrou de corpo e alma na luta contra a pandemia do coronavírus. Desde 23/3, tem produzido o boletim Cenário Covid-19, distribuído diariamente por WhatsApp para sua rede de clientes e parceiros e publicado em sua página no Issuu.

Nos veículos

A Rede Gazeta (ES) lançou em 1º/4 uma campanha de reforço da relevância do jornalismo profissional para levar informações confiáveis, especialmente em meio a crises como a que estamos vivendo. As peças, veiculadas no site, na televisão e nas redes sociais, se basearam nos números da pesquisa Datafolha.

A revista multimídia de sustentabilidade Página22 firmou parceria de conteúdo com a Coalizão Brasil – Clima, Florestas e Agricultura para enfrentar os efeitos da Covid-19. A Página22 passa a ser o hub de artigos produzidos por membros da Coalizão, na busca de soluções que envolvam a agenda do clima, das florestas e da agricultura nesse contexto. (Veja+)

Devido à quarentena, a Revista 100fronteiras, de Foz do Iguaçu, passou a realizar lives pelo Instagram com convidados que abordam temas relevantes sobre o momento atual.

Aos Fatos informa que no último mês a quantidade de inscritos nas suas listas de transmissão cresceu 20% e que desde que a crise se instalou, no início de março, recebeu diariamente a média de 300 mensagens com pedidos diversos de checagem. Isso significa um aumento de sete vezes em relação ao mês anterior, algo como 1.550 mensagens por semana. Leia a análise completa de Tai Nalon, diretora-executiva do Aos Fatos.

Também o UOL informa estar batendo mais recordes de audiência com a cobertura do coronavírus. Em março, de acordo com o Google Analytics, o conteúdo produzido pela Redação do portal gerou 951 milhões de sessões, superando amplamente o recorde anterior, em outubro de 2018, mês das últimas eleições, quando o fluxo de público gerou 777 milhões de sessões. “É uma história que se repete: quando há notícia de grande repercussão, as pessoas procuram fontes confiáveis de informações para compreender o impacto sobre suas vidas”, diz o diretor de conteúdo Murilo Garavello.

Para continuar levando suas edições diárias ao leitor em tempo de isolamento social, o Metro Jornal criou um serviço de assinatura gratuita por e-mail. O interessado pode cadastrar seu endereço eletrônico no site www.metroemcasa.com.br. Com a medida, o jornal oferece uma opção ao leitor para receber os exemplares em casa, de segunda a sexta-feira, respeitando as regras de isolamento social recomendadas pelas autoridades sanitárias.

Nesta quarta-feira (8/4), a TV Cultura estreia o programa especial O Brasil Depois da Crise, que trará uma série de conferências promovidas pelo governo de São Paulo, com prestigiados economistas, sobre a crise econômica gerada pela epidemia do coronavírus. Apresentado por Ana Paula Couto e com comentários do cientista político e economista Ricardo Sennes, vai ao ar todas as quartas-feiras, às 22h45.

As edições impressas do jornal ND, de Santa Catarina, estão sendo entregues às pessoas em situação de rua em Florianópolis enquanto durar a quarentena. A iniciativa leva informação de qualidade para aqueles que são atendidos diariamente na Passarela do Samba Nego Quirido, no Centro de Florianópolis, pela Secretaria Municipal de Assistência Social, informou o jornal do Grupo ND. A ação, segundo a secretária municipal de Assistência Social, Maria Cláudia Goulart da Silva, atende a um pedido das próprias pessoas, que agora passam o dia inteiro no local devido ao isolamento.

Outros

A Associação dos Cartunistas do Brasil (ACB) promove a exposição virtual Daniel Azulay é Coisa Nossa, em homenagem ao desenhista, artista plástico e educador que faleceu em 27/3, vítima da Covid-19. A mostra virtual pode ser conferida no portal de notícias G1, e em breve no blog oficial do HQMIX.

Dada a situação atual, o Festival Cannes Lions anunciou em 3/4 o cancelamento da edição de 2020. Mas a 66ª edição já está agendada para o período de 21 a 25 de junho de 2021. Com a decisão, a edição deste ano do Young Lions Brazil Creativity Program está também cancelada. O projeto seguirá o calendário do Festival para anunciar sua programação em 2021.

Para saber como profissionais da comunicação estão trabalhando e se cuidando, o Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho da ECA-USP está realizando a pesquisa Como trabalham os comunicadores em tempos de pandemia do Covid-19? O formulário da pesquisa pode ser acessado aqui.

Daniel Santini, ex-Lance, Rede Globo, TV Record e Repórter Brasil, hoje coordenador na Fundação Rosa de Luxemburgo e especialista em mobilidade urbana, conseguiu fazer com que seu livro Passe Livre, sobre políticas públicas de mobilidade, fique disponível para download gratuito. É, diz ele, “uma modesta tentativa de contribuição para incentivar as pessoas a ficarem em casa durante a quarentena”. Interessados podem baixar por este link.

A ABI divulga em seu site que a versão em português do Manual de Controle e Prevenção da Covid-19, segundo o doutor Wenhong Zhang, médico chinês especialista em doenças infecciosas e referência no tratamento do novo coronavírus, começou a ser distribuída gratuitamente pela internet em formato PDF.Ele explica sobre o novo coronavírus, quais são as fontes de infecção e transmissão, período de incubação, sintomas e tratamento, e quais os grupos risco, além de formas de prevenção em casa, no período de quarentena, e orienta sobre o uso de máscara, luvas e óculos de proteção.

A Global Alliance for Public Relations and Communication Management (GA) – confederação das principais associações e instituições de gerenciamento de comunicação e relações públicas, representando 280 mil profissionais e acadêmicos do mundo –, por meio de seus membros do conselho, publicou um texto com 12 mensagens que devem nortear a comunicação durante este período de pandemia. A iniciativa tem como objetivo recordar aos governos, empresas e organizações de que a forma com que nos comunicamos é fundamental para o molde dos sentimentos públicos. A Aberje é uma das associadas da GA e faz parte do seu conselho da GA. (Veja+)

Com as sessões paralisadas desde 17/3 por causa da pandemia do coronavírus, e 89 convocações para serem votadas, a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News foi prorrogada por 180 dias. Segundo o presidente da comissão, senador Ângelo Coronel, nos próximos dias os membros vão discutir se os trabalhos continuam remotamente ou se será necessário aguardar a volta do funcionamento do Congresso. A CPMI investiga a criação de perfis falsos para disseminar fake news e influenciar o resultado das últimas eleições, além do vazamento das conversas entre membros da Lava Jato e o ministro Sergio Moro, então juiz.

O governo da Dinamarca decidiu apoiar as organizações de notícias que registrarem prejuízos nas receitas publicitárias por causa dos impactos da pandemia. As compensações oscilarão entre 50% e 80% das perdas em um pacote de auxílio que soma ao todo 24 milhões de euros. A medida é destinada a jornais, revistas e rádios que verifiquem perdas de receitas superiores a 30% dos seus faturamentos médios em 2019. Quanto maiores forem os prejuízos, maior será a ajuda. Para perdas superiores a 50%, a compensação do governo será de 80%. A ajuda vai cobrir os recuos em receitas de publicidade verificados entre 9/3 e 8/6/2020, desde que as perdas sejam atribuíveis à crise desencadeada pela pandemia.

Um time de voluntários, reunindo diversas formações e especialidades, produziu um guia em inglês para ajudar chefes de jornalistas que estão tomando decisões diárias sobre a cobertura do novo coronavírus. O manual colaborativo foi escrito por uma rede internacional, tendo como contexto a realidade dos repórteres e editores norte-americanos. No entanto, muitas orientações e dicas podem se adequar ao contexto brasileiro ou serem retrabalhadas pelas redações do Brasil. Como contribuição ao projeto, a Abraji traduziu quase todo o material de 16 páginas, que pode ser acessado para download aqui.

A fim de fazer com que o período de quarentena seja mais fácil de superar, a Nikon, empresa que atua no ramo fotográfico, realiza uma ação pela qual oferece gratuitamente todas as dez aulas online de fotografia disponíveis na Nikon School. A iniciativa vai até o dia 30 deste mês.

A Associação Mundial de Editores de Notícias (WAN-IFRA) adiou seu congresso mundial, marcado inicialmente para junho, que agora será de 17 a 19 de setembro em Zaragoza, na Espanha. Vincent Peyrègne, CEO da WAN-IFRA, disse que a mídia precisa discutir urgentemente a crise atual e seu impacto em seus negócios, mas que seria inconcebível realizar o evento com segurança em junho, por causa da pandemia.



Fonte: Portal dos Jornalistas

Deixe uma resposta