Índice Nacional da Construção Civil varia 0,25% em abril | Agência de Notícias

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), apresentou variação de 0,25% em abril, ficando 0,10 ponto percentual abaixo da taxa do mês anterior (0,35%) e 0,09 ponto percentual abaixo do índice de abril de 2019 (0,34%). De janeiro a abril, o índice acumula 1,15%. Nos últimos doze meses, a taxa soma 3,68%, resultado abaixo dos 3,77% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Devido às medidas de isolamento social em razão da Covid-19, abril foi o primeiro mês em que esta pesquisa não teve coleta presencial, tendo sido realizada exclusivamente por meios eletrônicos e contatos por telefone.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em março fechou em R$ 1.169,15, passou em abril para R$ 1.172,05, sendo R$ 614,38 relativos aos materiais e R$ 557,67 à mão de obra.

A parcela dos materiais apresentou pequena variação, de 0,09%, registrando queda tanto em relação ao mês anterior (0,20%), quanto em relação a abril de 2019 (0,33%), 0,11 e 0,24 pontos percentuais, respectivamente.

Já o valor da mão de obra registrou taxa de 0,42%, caindo 0,09 ponto percentual em relação ao índice captado em março (0,51%). Com relação a abril de 2019, 0,36%, observamos aumento de 0,06 ponto percentual.

De janeiro a abril, os acumulados são 1,45% (materiais) e 0,81% (mão de obra), sendo que em doze meses ficaram em 4,10% (materiais) e 3,15% (mão de obra).

Região Sudeste registra a maior alta

O Sudeste registrou a maior variação regional em abril, 0,39%. A taxa na região foi impactada pelo aumento observado nas categorias profissionais no Rio de Janeiro.

As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,00% (Norte), 0,24% (Nordeste), 0,15% (Sul) e 0,03% (Centro-Oeste). Os custos regionais, por metro quadrado, foram de R$ 1.179,66 no Norte, de R$ 1.086,49 no Nordeste, de R$ 1.221,51 no Sudeste, de R$ 1.228,32 no Sul e de R$ 1.175,84 no Centro-Oeste.

Entre os estados, o Rio de Janeiro, principalmente devido ao reajuste dos profissionais, mencionado acima, foi o estado que apresentou a maior variação mensal: 1,89%. Amapá e Tocantins tiveram alta tanto na parcela dos materiais como na mão de obra, mas as taxas não chegaram à metade das registradas no Rio, ficando em 0,88% e 0,84%, respectivamente.

Sinapi – Abril/2020
COM desoneração da folha de pagamento de empresas do setor





































ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL              1172,05 586,66 0,25 1,15 3,68
REGIÃO NORTE        1179,66 587,80 0,00 0,87 3,92
Rondônia            1237,33 689,93 0,16 1,29 6,07
Acre                1296,88 688,38 -0,03 0,71 4,50
Amazonas            1147,42 561,82 0,03 0,20 4,62
Roraima             1225,16 508,81 -0,10 0,07 3,48
Pará               1161,32 556,71 -0,31 0,55 2,84
Amapá               1176,56 571,51 0,88 3,93 6,33
Tocantins           1203,28 632,63 0,84 2,31 3,62
REGIÃO NORDESTE     1086,49 586,88 0,24 1,76 3,42
Maranhão            1127,37 593,94 0,07 1,08 2,83
Piauí             1105,09 734,43 0,06 0,32 2,34
Ceará             1085,86 627,14 0,35 1,85 4,57
Rio Grande do Norte 1054,66 531,65 0,71 1,37 1,95
Paraíba             1119,35 619,12 0,76 1,62 2,68
Pernambuco          1049,13 560,94 0,28 1,31 3,24
Alagoas             1053,07 526,20 0,15 0,83 1,90
Sergipe             1000,93 531,89 -0,17 1,32 1,58
Bahia               1098,84 581,63 0,11 2,91 4,33
REGIÃO SUDESTE      1221,51 584,88 0,39 1,04 3,47
Minas Gerais        1124,46 618,77 0,13 1,13 3,72
Espírito Santo      1057,42 586,51 0,03 0,59 3,67
Rio de Janeiro      1320,20 601,61 1,89 2,42 5,68
São Paulo           1253,61 566,26 -0,06 0,46 2,39
REGIÃO SUL          1228,32 587,41 0,15 0,46 4,46
Paraná            1190,37 569,23 -0,05 0,00 3,40
Santa Catarina      1338,08 724,82 0,19 0,53 5,39
Rio Grande do Sul   1186,25 538,43 0,47 1,18 5,24
REGIÃO CENTRO-OESTE 1175,84 600,25 0,03 0,86 3,89
Mato Grosso do Sul 1124,55 528,90 0,06 0,61 3,42
Mato Grosso         1172,56 668,93 0,00 2,18 3,14
Goiás           1167,37 616,66 0,17 0,58 5,65
Distrito Federal    1227,27 542,03 -0,12 -0,25 2,91
FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

 

Sinapi – Abril/2020
SEM a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor





































ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 NO ANO 12 MESES
BRASIL              1257,74 629,22 1,12 3,66
REGIÃO NORTE        1259,60 627,71 0,84 3,90
Rondônia            1321,74 736,92 1,25 6,08
Acre                1383,86 734,45 0,58 4,44
Amazonas            1226,14 600,55 0,19 4,58
Roraima             1316,67 546,68 0,08 3,39
Pará                1238,67 593,56 0,52 2,86
Amapá               1256,34 610,17 4,01 6,24
Tocantins           1284,86 675,72 2,28 3,48
REGIÃO NORDESTE     1162,09 627,77 1,77 3,45
Maranhão            1202,65 633,77 1,01 2,67
Piauí             1180,28 784,16 0,30 2,43
Ceará               1157,84 668,30 1,80 4,64
Rio Grande do Norte 1126,24 567,54 1,42 1,87
Paraíba             1195,97 661,36 1,79 2,77
Pernambuco          1122,21 599,91 1,23 3,25
Alagoas             1126,05 562,71 0,82 2,09
Sergipe             1071,38 569,48 1,31 1,74
Bahia               1179,87 624,07 3,03 4,33
REGIÃO SUDESTE      1315,37 629,35 1,02 3,44
Minas Gerais        1205,70 663,20 1,05 3,65
Espírito Santo      1135,35 629,85 0,56 3,77
Rio de Janeiro      1425,77 650,14 2,49 5,85
São Paulo           1351,64 610,54 0,44 2,33
REGIÃO SUL          1322,67 632,42 0,38 4,43
Paraná              1285,08 614,52 -0,07 3,38
Santa Catarina      1444,49 782,46 0,44 5,37
Rio Grande do Sul   1268,39 575,75 1,10 5,26
REGIÃO CENTRO-OESTE 1256,05 641,18 0,82 3,91
Mato Grosso do Sul 1203,73 565,64 0,58 3,57
Mato Grosso         1251,86 714,08 2,04 2,90
Goiás               1246,88 658,15 0,59 5,76
Distrito Federal    1310,37 578,76 -0,24 3,08
FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

Fonte: IBGE – Agência de Notícias

Deixe uma resposta