Estudo da Oxford indica que sites de fake news conseguem usar Google para ganhar dinheiro

Estudo da Oxford indica que sites de fake news conseguem usar Google para ganhar dinheiro

Crédito: Arnd Wiegmann/Reuters

O Oxford Internet Institute fez uma pesquisa que mostrou como sites com desinformação sobre o coronavírus conseguem usar as ferramentas de pesquisa e publicidade do Google para ganhar visualizações e dinheiro. Segundo o estudo, sites de fake news têm o mesmo nível de classificação de agências de notícias tradicionais.

A pesquisa indicou que ao menos 60% dos maiores sites de desinformação conseguem obter dinheiro através do Google Ads. As páginas analisadas falham em pelo menos três dos cinco critérios: profissionalismo, estilo, credibilidade, preconceito e falsificação.

Os resultados apontaram que o site estatal russo RT.com é o site de desinformação com maior “autoridade” nos mecanismos de busca, ou seja, a probabilidade de notícias desse site aparecerem na busca do Google é alta e equivale, por exemplo, à chance de surgirem resultados vindos de fontes confiáveis como La Repubblica da Itália, Le Figaro da França e Welt na Alemanha. O estudo analisou também os sites de fake news sputniknews.com, alternet.org, breitbart.com e zerohedge.com.

Segundo o relatório, “o ecossistema de notícias indesejadas e desinformação em torno do Covid-19 é ativado por mecanismos de pesquisa e plataformas de publicidade que contribuem para sua visibilidade e receita financeira. (…) Grandes plataformas de publicidade, incluindo Google e Amazon, contribuem, portanto, para a viabilidade financeira e o sucesso de editores de notícias falsas e com desinformação em torno da Covid-19”. 

Com informações do Portal Imprensa.



Fonte: Portal dos Jornalistas

Deixe uma resposta